sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Biografia de ex-prefeitos de São Gotardo



Antônio Lopes Fonte Boa – prefeito de 1915 a 1920

Antônio Lopes Fonte Boa nasceu em 21 de março de 1879, em São José das Perobas. Filho de José Manoel Fonte Boa e Clementina Laurinda Rodrigues da Silva. Aos 12 anos mudou-se para Dores do Indaiá, levado pelo o irmão mais velho, onde trabalhou em uma casa comercial e cursou o colégio Municipal de Dores do Indaiá.
Depois mudou-se para Belo Horizonte e passou a estudar farmácia e terminou seus estudos em cidade Ouro Preto. Ele abriu sua primeira farmácia em São José das Perobas, onde ficou somente dois anos, depois veio morar em São Gotardo.                                                                      
Em 1911 por lei provincial, foi criado o Município de São Gotardo cuja instalação só se deu em 1915. No mesmo ano foi levado a presidente da Câmera (cargo que hoje equivale ao de prefeito). Quando esteve em seu mandado realizou várias obras, dentre elas estão: a construção da cadeia, o fórum, e do Grupo Escolar '' Afonso Pena''; construiu rede de água e esgotos; captação de água potável das fontes próximas; inaugurou a luz elétrica, por iniciativa de um industrial residente na cidade.
Ele morreu pobre, em junho de 1933. A prefeitura mandou erguer um túmulo do cemitério local em solene epitáfio: “Ao Cel. Fonte Boa, o Município de São Gotardo agradecido''.

Sebastião Lopes Fonte Boa – prefeito de 1947 a 1949

Sebastião Lopes Fonte Boa foi eleito prefeito de São Gotardo pelo juiz de Direito da Comarca de São Gotardo, Dr. Gérson de Abreu e Silva, em meados de 1947.
A sua nomeação foi recebida por ele com grande satisfação, pois ele estava afastado das lides partidárias há muitos anos. Além disso, Fonte Boa se encontrava com estado de saúde agravado. Como o ambiente era de luta, ele se fez pragmático, dentro dos princípios da verdade e tolerância. Trabalhou pela paz partidária, paz social.
Em 1947, escreveu para o Presidente da República, Mauricio Eurico Gaspar Dutra, pedindo a construção de casas populares na cidade e também outras reivindicações. Como prefeito apartidário, nomeado transitoriamente por um governo de exceção, o governador Milton Campos recusou duas vezes o pedido de exoneração.
Sebastião Lopes Fonte Boa, faleceu em junho de 1949. Só assim terminou sua vida política.

Erotides Batista – prefeito em 1968

Em 1968, como candidato de conciliação dos partidos PSD e a UDN, foi eleito prefeito de São Gotardo, foi o primeiro prefeito a pensar em mecanizar a prefeitura, quando adquiriu algumas máquinas essenciais para São Gotardo.
Fez uma magnífica gestão à frente da prefeitura. Nas décadas de 60 e 70, durante seu mandato, construiu o clube Campestre de São Gotardo, criou o Bairro Campestre, abriu e calçou a Avenida Tabelião João Lopes, ajudou na instalação do telefone em São Gotardo, construiu o Hospital Pio XII.
Erotides Batista faleceu em 24 de janeiro de 1989.

Pesquisa: Jéssica Costa e Raquel Melo, 3°ano 3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário